• The Climate Reality BR

A agropecuária e o impacto ambiental



A agropecuária industrial - que se trata da transformação de fazendas em fábricas – cresceu de forma significativa nas últimas décadas, no mundo todo. Porém, este tipo de produção gera impactos ambientais significativos. Além das péssimas condições em que estes animais vivem são utilizados amplamente produtos como a soja e outras monoculturas, bem como pesticidas e fertilizantes minerais.


O setor também é um dos que emite gases de efeito estufa, que contribuem com o aquecimento global. No Brasil, em que há forte presença da agropecuária, o setor representou 28% das emissões de gases de efeito estufa no país, ficando em segundo lugar como maior contribuinte – somente atrás do uso da terra (SEEG, 2019). A expansão do gado no país causou o desmatamento de florestas e a degradação de terrenos de pastagem natural.


A expansão da pecuária bovina também contribui com o aumento das emissões do gás metano, devido à fermentação entérica - processo natural de digestão de animais como os bovinos (“arroto do boi” é seu nome popular). A disposição a céu aberto dos dejetos animais, bem como a utilização de fertilizantes sintéticos no setor, são também fontes significativas de emissões.


Estudos realizados por instituições de pesquisa agropecuária no Brasil, como a Embrapa, mostram que é possível a diminuição do impacto do setor por meio de ações como restauração de florestas, utilização de áreas de pastagens já existentes, restauração e uso das áreas degradadas e outras ações de manejo. Mas é fato que, para diminuir as emissões, ações precisam ser tomadas com urgência.


Quer saber mais? Acesse aqui e aqui.


53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo