Logo_cores-preto01.png

FORAM 120 PROJETOS INSCRITOS

Conheça os projetos da categoria FUTURO

Carlos Vinícius Silva Gomes

Análise e predições dos efeitos do aquecimento global nas comunidades de Braconidae numa montanha do Sudeste brasileiro

Sobre o projeto:  

Entender de que maneira o aquecimento global pode modificar a distribuição das espécies numa montanha. Como elas possuem uma faixa de tolerância térmica elas poderiam migrar (dependendo da sua capacidade, dos limites da montanha e recursos essenciais) para se readequar a nova temperatura. É importante lembrar que o grau de endemismo numa montanha é bem elevado, e o local de maior ocorrência é na parte superior da montanha, local onde a migração para o alto é impossível, já que há um limite até onde as espécies podem subir. 

Área: Biodiversidade, impactos ambientais, serviços ecossistêmicos.

Público alvo: Cientistas, biólogos, políticos, gestores de parques e formadores de opinião

Saiba mais sobre o projeto aqui

Christiane Aires

Gestão Municipal Integrada de Resíduos Sólidos como forma de mitigar e diminuir os efeitos das mudanças climáticas

Sobre o Projeto:  O município de Itaguaí sofre atualmente graves danos com enchentes e inundações. A implantação de um plano integrado de gestão de resíduos sólidos aliado a um programa de educação ambiental tendo como foco as mudanças climáticas será um grande aliado na mitigação destes problemas. Acredita-se que o plano pode ser adaptado para outros municípios com características parecidas.

Área: Educação; gestão pública; reciclagem

Público alvo: Municípios da área metropolitana do Estado do Rio De Janeiro

Saiba mais sobre o projeto aqui

Vania Velloso

Quem Sabe Juntos

Aprendemos Algo Mais

Sobre o Projeto: Eu creio que precisamos como líderes e pessoas que estudam e aplicam ou aplicaram nos territórios passar estas informações e práticas para galera jovem que entra na universidade ou escolas técnicas! E com suporte do Climate e muito tempo que tenho hoje posso fazer e desenvolver conteúdos para estes públicos! E aprender  para aprender com eles também.

Área: Educação, atitude, trocas socioambientais e climáticas

Público alvo: Graduandos

Saiba mais sobre o projeto aqui

Cristina Mendonça

Transição para um Novo Paradigma de Desenvolvimento (Moving4Life) 

Sobre o Projeto: 

Formação de uma comunidade virtual de prática (ecossistema de mudança) para capacitação, mobilização e engajamento de agentes de mudança para transição de um novo paradigma de desenvolvimento.

 

A moldura que estrutura o trabalho integrará as áreas humana e social e suas aplicações em psicologia, sociologia, desenvolvimento adulto e teorias de mudança, lado a lado com a abordagem sistêmica de finanças, ecologia, políticas públicas, infraestrutura, tecnologia, ecologia e pensamento sistêmico.

 

O objetivo será a co-criação de processos baseado em 4 pilares, pessoas, planeta, propósito e prosperidade e ampliar o foco da geração de valor monetário e no tripé social, econômico e ambiental para ativar todos os possíveis valores que as atividades da nova economia podem gerar:

 

- Valor do bem-estar individual, tanto psicológico como físico (saúde e comportamental): pessoas

 -Valor do bem-estar de indivíduos e progresso social, econômico, tecnológico e ambiental que ocorre de acordo com a capacidade regenerativa da natureza: prosperidade

 -Valor das relações e conexões sociais e culturais que se alinham com os limites planetários: planeta

 - Valor do sentido das atividades para indivíduos e cultura para que desenvolvam e realizem seu pleno potencial em harmonia, individualmente e coletivamente: propósito.

Área: Desenvolvimento humano e relacional, teorias e estratégias de mudança, teorias de desenvolvimento adulto, mindfulness, consumo consciente e produção sustentável, economia circular, multicapitalismo, mensuração de pegada de carbono

Público alvo: Cidadãos, empresários, governos e sociedade civil

Saiba mais sobre o projeto aqui

Binka Le Breton 

Florestas para Água Brasil: Ação Climática na Comunidade 

Sobre o Projeto: 

O projeto original de Florestas para Água nasceu em 2016 como uma resposta à escassez de água nas propriedades de agricultura familiar, e desde então Iracambi plantou e cuidou de 27,000 mudas de árvores nativas junto às famílias rurais. Fornecemos as mudas do nosso viveiro florestal, tentamos convencer os agricultores da importância de plantar árvores nas áreas de recarga hídrica, e ajudamos na preparação da área, no plantio e na manutenção. Coletamos dados em cada propriedade sobre o georreferenciamento do local do plantio, a quantidade e variedade de mudas e a qualidade de água e armazenamos os dados no nosso SIG (Sistema de Informação Geográfica) que está disponível no link em baixo. 

 

Este ano de 2021, para apoiar a Década de Restauração de Ecossistemas,  resolvemos expandir nosso programa de reflorestamento, visando o plantio de 55,000 árvores quando tivermos alcançado capacidade para tal.  Achamos terreno suficiente,  estamos arrecadando dinheiro, e já estamos aumentando nossa capacidade, tanto de infraestrutura quanto de mão de obra. Além de reflorestar nas propriedades de agricultura familiar, vamos começar a criação do corredor florestal que vai juntar importantes áreas de florestas fragmentadas, fortalecendo a área de proteção integral do Parque, ajudando a proteger e recuperar os recursos hídricos, capturando carbono e ajudando a estabilizar o clima.  

Área: Restauração ecológica, proteção dos recursos hídricos, captura de carbono, conservação da biodiversidade

Público alvo: A comunidade local e as pessoas que dependem das águas que brotam nesta serra.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Kaleb Silva de Melo

Arvoreseres

Sobre o Projeto: 

O projeto trata-se da elaboração e lançamento de jogo de memória e derivativos para o mercado brasileiro, inspirado nas árvores do Brasil.

 

Criado com imagens "ilustrações exclusivas", o conceito traz avatares das árvores brasileiras, agora considerados heróis brasileiros. Através do Jogo Arvoreseres, criaremos uma conexão autêntica entre a próxima geração e as árvores de nosso Bioma. Transformaremos nossas árvores em heróis, já que elas são a solução frente a crise climática. De forma lúdica e divertida, criaremos consciência e educação ambiental na geração que será responsável na tomada de decisão no momento mais crítico da história da humanidade.

Área: Educação

Público alvo: Crianças entre 02 e 12 anos

Saiba mais sobre o projeto aqui

Priscilla Mara Bueno

Nosso meio ambiente

Sobre o Projeto: Levar informação e ensinamento a moradores da Cidade Tiradentes sobre questões do Meio Ambiente.

Vou ministrar oficinas semanais de 2h por semana tratando sobre meio ambiente. Serão 18 encontros virtuais (em virtude da pandemia), onde vou tratar sobre mudanças climáticas, resíduos sólidos e hortas.

Área: Educação ambiental, onde falarei sobre mudanças climáticas, resíduos sólidos, hortas

Público alvo: Pessoas acima de 7 anos de idade, de preferencia mulheres.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Larisse Faroni-Perez

Catadores Protagonistas - CataPro. Ressalta-se que é um projeto co-criado por três instituições parceiras: a Rede de Economia Solidária dos Catadores Unidos do Espírito Santo (Reunes), a Coriolís Tecnologia Social e o Instituto Geração Oceano X (GOX), pelas respectivas pessoas: Manuella Lima Rodrigues, Ana Paula do Nascimento Silva e Larisse Faroni-Perez.

Sobre o Projeto: A solução proposta por meio da implementação do CataPro é inovadora uma vez que iremos prototipar ações e pesquisas e monitorar melhorias de condições de trabalho nas associações de materiais recicláveis e reutilizáveis, em todos os níveis, desde parâmetros de saúde e socioeconômicos dos trabalhadores. E, combatendo o meio de trabalho precário, insalubre e sem dignidade humana, passando por arcabouço estrutural de capacitação e emancipação econômica das associações fomentando a valoração transdisciplinar do trabalho dos catadores e associações, até as relações sociais promovendo a sensibilização e o engajamento contínuo e das diferentes fontes geradoras de resíduos em ações, sejam eles munícipes, setores produtivo, público, industrial, dentre outros. Ainda, criaremos o Observatório da Reciclagem, uma plataforma online e aberta com dados oriundos das associações que será uma ferramenta acessível não somente para dar transparência aos resultados do projeto, mas também para tornar o projeto um case de sucesso a ser multiplicado e servir de uma fonte de dados para cálculos de redução da emissão de carbono. 

Área: Agenda 2030, cultura oceânica, educação climática, justiça socioambiental, racismo ambiental, consumo sustentável, reutilização e reciclagem de materiais, comunidades locais, igualdade de gênero, mobilização e sensibilização de recursos humanos, ESG, neutralização de carbono e baixa emissão de gases de efeito estufa, poluentes e contaminação ambiental, conservação ambiental, governança, advocacy, e políticas públicas.

Público alvo: O público alvo direto é cerca de 130 trabalhadores em 12 associações. Ainda, dezenas de discentes de iniciação científica e pós-graduação auxiliarão no acesso às informações do perfil socioeconômico, da saúde dos trabalhadores, e do mapeamento dos setores da sociedade civil (Escolas, Igrejas, Condomínios e Prédios Públicos) nas adjacências das associações, e que, serão público alvo indireto, por meio de participação das campanhas de educomunicação ambiental promovidas, engajamento na triagem e reciclagem de materiais, além de Integrantes dos Poderes Executivo, Legislativo, Ministério Público e setor privado.

O site do Projeto CataPro está em desenvolvimento, por uma equipe de especialistas.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Adriana Bocaiuva

Aliança Cidadã pela resiliência urbana às Mudanças Climáticas no RIO DE JANEIRO

Sobre o Projeto: 

Objetivo: promover a colaboração entre a sociedade civil e os gestores municipais na mitigação dos impactos de eventos climáticos extremos [ alagamentos, deslizamentos de terra, secas etc ] e para melhoria da qualidade dos recursos hídricos cariocas [ combatendo a poluição e a obstrução de rios, lagoas e praias].

 

Bairros: Lagoa,  Jardim Botânico, Gávea, Rocinha, Leblon, Ipanema, Copacabana, Lagoa, Vidigal, São Conrado e Botafogo.

 

Como: 

I - formar uma equipe por rua - composta por voluntários - responsável por monitorar e colaborar para a desobstrução e para a manutenção da rede  drenagem e da rede de esgoto do seu bairro, mantendo comunicação contínua com as equipes responsáveis pela conservação desses equipamentos e pela Defesa Civil.

                       

II - representação de todas as associações de moradores da região no Subcomitê do Sistema Lagunar da Lagoa Rodrigo de Freitas. 

Área: Resiliência urbana aos impactos resultantes dos efeitos atuais e esperados da mudança do climáticas

Público alvo: Cidadão organizados através das associações de moradores da cidade do Rio de Janeiro 

Saiba mais sobre o projeto aqui

Genilda Gomes Santos

1ª Mesa do Mundo Biodegradável Home Office

Zero Carbon, Zero Resíduo,

Zero Energia

Sobre o projeto:  Estamos diante de uma urgência climática, "somos a primeira a sentir os efeitos climáticos e a última geração que poderá fazer algo" e poder levar uma mesa biodegradável, não podemos perder tempo, reduzir as emissões de CO2 com a geração de energia renovável para a nova modalidade que mais cresce no mundo Home Office.

Área: A pandemia levou as organizações a adotarem o Home Office, e para reduzir as emissões de CO2 criamos a 1ª Mesa do Mundo Biodegradável Home Office Zero Carbon, Zero Resíduo, Zero Energia. Com aplicação da neurociência aplicada às cores e QR CODE para os colaboradores que receberem de suas empresas escolham um projeto de combate ao aquecimento global que receberá uma doação de parte do valor das vendas da mesa

Público alvo: Empresas que estão com seus colaboradores em Home Office que hoje somam no Brasil, segundo pesquisa feita pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), 20,8 milhões de pessoas podem utilizar o home office, o que que corresponde a 22,7% dos postos de trabalho. Já em outros países os números são significativos.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Filipe Mattos Gonçalves

Hackathon Climático

Sobre o Projeto:  

No Hackathon Climático de 2021, apenas um desafio será construído em conjunto pelas organizações (YCL, Greenpeace, Engajamundo, Fridays for Future e outras a confirmar) que também constituirão a Banca Avaliadora.

 

Os inscritos participarão de uma corrida de 3 dias em que seus participantes deverão hackear soluções para o grande desafio que as organizações vão propor, criando jogos educacionais, aplicativos para smartphones e computadores, vídeos, ferramentas de ensino e muito mais.

 

Serão verdadeiros desafios para as organizações sociais selecionadas e estruturadas pela equipe da Sustentabilize.se, dentro do tema Combate às Mudanças Climáticas no Brasil e no Mundo.

 

Dimensão esperada: 100 participantes ativos + organização (cerca de 20 pessoas)

 

Devido à pandemia COVID-19, será um evento totalmente virtual previsto para Novembro de 2021.

Área: Educação, mudanças climáticas

Público alvo: Jovens e adultos de todo o Brasil.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Natalia Tsuyama Cócolo

TEDxSavassi 2021 - Agenda 2030 e Countdown 

Sobre o Projeto: 

Pré evento 1 - Hackathon Climático TEDxSavassi e Sustentabilize-se - Setembro 

Desafio de 3 dias em que um grupo de participantes tem que resolver um desafio proposto pelas organizações sociais parceiras (CRL Brasil, Engajamundo, Greenpeace) relacionado ao combate das mudanças climáticas, por meio de um MVP (Mínimo produto viável). 

 

Pré evento 2 -  TED Circles hosted by TEDxSavassi 

Encontros mensais da comunidade para falar sobre como podemos mudar as mudanças climáticas. Os Círculos assistem e discutem uma palestra TED sobre o tema Contagem regressiva para um mundo zero carbono e compartilham tópicos online para considerar as perspectivas uns dos outros e criar uma conversa global.

 

Pré evento 3 - SustentabilizeCast Edição 2021 

+5 Episódios de podcast com convidados especialistas e lídes climáticos com temáticas relacionadas ao TEDxSavassi Agenda 2030 

 

Evento 1 -  TEDxSavassi Agenda 2030 - Outubro

Teremos +10 palestrantes nacionais escolhidos por um comitê de organizações parceiras de forma a respeitar os critérios de equidade de gênero, raça e sem deixar de considerar o papel fundamental das comunidades tradicionais na luta climática. 

 

Evento 2 - TEDxSavassi Countdown - Novembro

Teremos +50 palestrantes, dentre eles, cientistas, ativistas, empreendedores, planejadores urbanos, fazendeiros, CEOs, investidores, artistas e funcionários do governo para encontrar as ideias mais eficazes e baseadas em evidências que existem, com o objetivo de identificar as soluções ousadas que podem ser ativadas quando as pessoas saem da sua zona de conforto e enfrentam o desafio.

Área: Agenda 2030, ODS, combate da mudança climática, Race to zero (Zero carbono), Capitalismo consciente, Antirracismo Climático, Direitos das comunidades tradicionais, Ecofeminismo, Energia renovável, transportes sustentáveis, materiais recicláveis, alimentação saudável e natureza

Público alvo: Pessoas que falam português.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Ana Leticia Araujo de Aquino Bertoglio

Téo e a Terra de Todos

Sobre o Projeto: Durante reuniões de 30 minutos com crianças pequenas (nas quais se permite e incentiva a  participação de sua família e de seus educadores), acontece uma micro apresentação do "Truth in Ten",  uma atividade lúdica (no piloto foi desenhar e pintar) e interagem livremente.

Área: Educação Climática

Público alvo: Crianças de 5 a 10 anos

Saiba mais sobre o projeto aqui

Kenny Tanizaki Fonseca

Carbono Zero UFF

Sobre o Projeto: Estamos levantando os pontos frágeis para sistematizar inventários anuais, identificando as fontes de dados e fatores de emissões regionais/locais para os insumos da universidade. Ao mesmo tempo, estamos identificando estratégias para mobilização em redes sociais e de que maneira podemos capitalizar conteúdos e discussões sobre o tema das mudanças climáticas em todos os cursos de graduação.

Área: Inventário Institucional de emissões com desdobramentos em termos educacionais nos diversos cursos de graduação que a UFF oferece

Público alvo: Estando desenvolvendo este projeto dentro do Gabinete do Reitor e a pedido dele (Prof. Antonio Claudio da Nóbrega) temos o objetivo de interagir com todos os cursos de graduação incluindo os professores e funcionários da comunidade acadêmica. Através de ações extensionistas devemos também influenciar parte do público da cidade de Niterói.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Jose Luiz Esteves

Unveiling Net Zero to connect Urban Management and a Sustainable Economy Framework in Public Administration

Sobre o Projeto: 

Pretende-se desenvolver um mapeamento de possibilidades para a estruturação do Net Zero através da formação continuada na gestão pública, e a  adoção de seu framework a médio prazo, com impacto na releitura de Planos de Desenvolvimento e de Gestão Urbana Locais

Área: Educação/ Recursos Hídricos/ Eficiência Energética

Público alvo: Gestores Públicos/ IES

Saiba mais sobre o projeto aqui

Pedro Amaral Reis

Domingo

Sobre o Projeto: Domingo representa o sonho compartilhado de uma cidade mais saudável, sustentável e empática. O vídeo é uma produção multissensorial em realidade virtual que explora a sensação de liberdade para incentivar o uso de bicicletas em Porto Alegre. O projeto, que é uma parceria entre as instituições Global Shapers Porto Alegre e Fundação Thiago Gonzaga, é dividido em duas etapas: 1) produção do vídeo, já concluída; 2) execução do vídeo em workshops de segurança no trânsito em escolas e empresas de transporte público e locais públicos. A experiência completa conta com bicicletas, suporte de pedalada e óculos de realidade virtual, que potencializam a imersão do público. Através de um processo criativo atento à diversidade e à inclusão, com ampla participação de cidadãos de Porto Alegre, fomos capazes de construir um objetivo comum: criar um mundo onde andar de bicicleta seja seguro, alegre e não apenas beneficie sua saúde e bem-estar, mas também amplie senso de comunidade em direção a um mundo mais sustentável e uma cidade mais acessível. Domingo faz parte do Mobilidade 360º, um projeto maior sem fins lucrativos iniciado em 2019 que utiliza mídias imersivas para promover a pauta da mobilidade sustentável.

Área: Incentivo de modal de transporte não poluente.

Público alvo: Jovens de 10 a 17 anos em escolas públicas e privadas de Porto Alegre. Também fazem parte do principal público alvo, motoristas de transporte público.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Laís D'Isep dos Santos

Protagonistas em ação: conectando demandas com soluções

Sobre o Projeto: 

O projeto consiste na criação de uma rede de troca de saberes na Amazônia, que tem como objetivos:

 

1) Conscientizar membros de comunidade ribeirinhas, indígenas, quilombolas e produtores rurais acerca do tema de mudanças climáticas, com recorte para o contexto local.

2) Conectar comunidades que possuem demandas e comunidades com soluções em potencial, e auxiliar na implementação destas soluções. Serão trabalhadas iniciativas que colaboram com a mitigação climática, especialmente ligadas à produção agroextrativista de baixo carbono, e com a adaptação, como soluções de infraestrutura para lidar com enchentes, buscando tornar as comunidades mais resilientes.

 

Faremos isso através de “intercâmbios virtuais” e, quando for seguro, presenciais, entre os pontos focais das comunidades, para que haja a troca de saberes. Nessa rede, pesquisadores e profissionais também serão convidados e terão o papel de contextualizar cientificamente para as comunidades como cada solução contribui no combate às mudanças do clima.

O projeto piloto prevê encontros virtuais entre pontos focais de duas comunidades e a construção conjunta de um plano para implementação da solução.

Área: Educação climática, cadeias produtivas agrícolas e extrativistas sustentáveis, recursos hídricos e pesqueiros, e infraestrutura

Público alvo: Jovens ribeirinhos, indígenas, quilombolas e produtores rurais.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Pedro Montes do Amaral

Climate no Legislativo

Sobre o Projeto: 

Com a ideia de que é preciso pensar globalmente, mas atuar localmente, para solucionar as questões atuais do clima, nós, líderes climáticos, precisamos envolver os tomadores de decisões políticas na nossa agenda. Sem isso, não conseguiremos implementar NDCs brasileiras adequadamente. Não podemos atuar somente no nível da sociedade civil organizada, precisamos alcançar os líderes eleitos. Nesse sentido, é preciso desenvolver ações de advocacy nos legislativos municipais. 

 

A ideia desse projeto piloto é a de influenciar os tomadores de decisões políticas locais, os vereadores, abrindo um canal de diálogo com eles, para que eles sejam permeados pelas pautas e agenda do Climate Reality Brasil e nós sejamos permeados pelos projetos legislativos deles. Essa também é uma boa maneira de organizar as discussões locais dos líderes climáticos em torno da agenda legislativa local.

Área: Advocacy político climático

Público alvo: Vereadores do Rio de Janeiro e líderes do Climate Reality Brasil.

Saiba mais sobre o projeto aqui

João Pedro Neves Goldenstein

Carta de Ambição Climática a Prefeitura do Rio de Janeiro

Sobre o Projeto: 

Primeiramente será uma carta de contato inicial com os gestores públicos do Rio, apresentando-nos e oferecendo ajuda/pressão aos problemas associados à crise climática. 

 

Em seguida, serão mais cartas e relatórios aprofundando a pressão e disponibilidade dos líderes em ajudar o Estado.

Área: Educação, gestão, meio ambiente, transporte, reciclagem, logística

Público alvo: Governantes e políticos

Saiba mais sobre o projeto aqui

Débora Pires Jeronymo

Sobre Clima

Sobre o Projeto: Gravar podcasts semanais com conteúdo relativo à educação ambiental para divulgar em redes como Spotify, Deezer, no próprio google podcast, bem como realizar gravações de voz ao vivo com convidados especialistas em áreas referentes à luta contra a crise climática e desenvolvedores de projetos climáticos.

Área: Educação, direito ambiental, recursos renováveis.

Público alvo: Jovens adolescentes e universitários

Saiba mais sobre o projeto aqui

Catarina Alencar

Jogo dos Chapéus

Sobre o Projeto: O jogo dos chapéus é uma metodologia de resolução de problemas complexos baseada em Design Thinking. Em vez de uma estrutura comum de projetos, convidamos as pessoas para jogar e atuar de forma colaborativa em papéis que representam os atores do setor social e ambiental, como em um RPG digital. Além do time multidisciplinar, cada grupo será guiado por um anfitrião narrador do jogo, que será um especialista na causa ambiental que o grupo de jogadores enfrenta como desafio principal.

Área: Educação climática, economia circular e design de impacto socioambiental.

Público alvo: Membros e voluntários de organizações e negócios de impacto socioambiental, em sua maioria entre 20 e 40 anos, que compõem times multi/trans/interdisciplinares.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Ana Carolina Link Boekhorst

SustentabilizeCast!

Sobre o Projeto: O projeto da SustentabilizeCast tem como propósito a divulgação de ideias de sustentabilidade, práticas, e temas relacionados à mudança do clima e consequências. 

Área: Educação ambiental, Conhecimentos

Público alvo: Público geral com interesse em se informar sobre a sustentabilidade e mudança do clima. 

Saiba mais sobre o projeto aqui

Maíra Azevedo

Mulheres das Águas

Sobre o Projeto: 

Este projeto surgiu da vontade de buscar e compartilhar experiências de relacionamento com o elemento  água, fonte da Vida em nosso Planeta,. A abordagem  feminina agrega o simbolismo da resiliência, do amor, da fertilidade. Acreditamos que é possível fomentar uma existência onde o cuidado com as pessoas e o  ambiente estejam inseridos como premissa. Nossa ferramenta básica nessa jornada será o esporte e através  dele chegaremos a destinos e histórias inspiradoras de cuidado com a água. E depois, vamos juntos contar essas histórias!

Área: Águas, Conservação e Justiça Climática

Público alvo: Sociedade brasileira e global

Saiba mais sobre o projeto aqui

Rodrigo Ramiro Ferreira Pereira

Agência Climática de Notícias

Sobre o Projeto: O projeto pretende ser uma agência de trabalho voluntário de inserção de estudantes de jornalismo na prática de produção de conteúdos e disseminação de conhecimentos, fatos, investigações e conteúdo educativo para a realidade climática. Utilizará uma infraestrutura simplificada em Wordpress em domínio a ser registrado, construindo relações de colaboração por esforços de trabalhos voluntários, oferecendo a possibilidade de os estudantes de jornalismo a prática de produção, a assinatura de conteúdos, construção de portfólio, e interesse pela questão climática, o conhecimento dos temas ambientais e o interesse pelo jornalismo ambiental.

Área: Produção de informação e conteúdo educacional.

Público alvo: Estudantes de jornalismo e público consumidor de conteúdo ambiental, líderes climáticos com necessidade de material didático e informativo, líderes climáticos com necessidades de divulgação de suas ações.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Paola Alessandra Moreno Bernardi e Silvia Stuchi Cruz

Laboratório de Ação Direta para Mobilidade a Pé - Lab.MaP

Sobre o Projeto: 

Andar a pé é peça fundamental para ajudar a superar os desafios das mudanças climáticas e auxiliar na transição de paradigma de como nos deslocamos, rumo à mobilidade de baixo carbono. Como uma resposta a esse e outros tantos desafios enfrentados pelos/as pedestres, em cidades brasileiras, o Lab.MaP, iniciativa desenvolvida pelo Projeto Como Anda com apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), vem responder a esse chamado.

Trata-se de uma oportunidade para reunir diferentes atores locais e envolver governo, sociedade civil, universidade e empresas para cocriarem ou fortalecerem, conjuntamente, soluções em defesa e de fomento à mobilidade a pé no Brasil. O Lab.MaP oferecerá apoio e mentoria de uma rede de profissionais e organizações atuantes em áreas distintas, de março a julho de 2021, para que grupos participantes tirem suas ideias do papel. O processo será organizado em quatro

fases: teórica, ferramental, prática e comemoração.

Área: Advocacy, educação, redução de emissões em meio urbano, justiça climática.

Público alvo: Coletivos e indivíduos que queiram atuar na defesa da mobilidade a pé por meio de iniciativas de intervenção na cidade; conscientização, sensibilização e educação; incidência política.

Saiba mais sobre o projeto aqui