top of page
  • Foto do escritorThe Climate Reality BR

Conheça os grandes vencedores do Prêmio Descarbonário 2023




O Prêmio Descarbonário 2023 aconteceu no último dia 30 de março, com transmissão aos vivo no canal do Climate Reality Project Brasil, no YouTube. Foram cinco categorias, uma representando cada região do Brasil. Dessa forma, tivemos projetos vencedores no país inteiro. Conheça os grandes vencedores do Prêmio Descarbonário 2023.


Categoria Região Centro-oeste

O grande vencedor foi o projeto Conversas Energéticas, liderado por Nayanne Brito. Esse projeto inovador tem como objetivo ajudar mulheres negras a ingressar no setor de energia renovável através de um grupo de mentoria coletiva. Ao trazer profissionais do setor para compartilhar suas experiências e conhecimentos, as mulheres são capazes de adquirir confiança e networking, ajudando-as a conseguir seu primeiro emprego nesse campo.


Categoria Região Nordeste

Representando o Nordeste, tivemos o projeto "Efeitos das Mudanças Climáticas sobre os

Mamíferos não-voadores da Caatinga" liderado por Gibran Anderson Oliveira da Silva, que analisou as consequências das mudanças climáticas na Caatinga, a maior floresta seca da América do Sul. Com base em registros de ocorrência de 90 espécies de mamíferos, o projeto prevê que até 90,6% dessas espécies perderão áreas adequadas no futuro para 75% da Caatinga, principalmente nas planícies e ao extremo norte e leste da Caatinga. Os distúrbios pelas atividades humanas dificultam o deslocamento e dispersão de mamíferos, sobretudo na região nordeste e centro-norte da Caatinga. O projeto destaca a importância de políticas público-ambientais e a tomada de decisão integrativa entre diferentes níveis administrativos para conservar as vidas nessas comunidades.


Categoria Região Norte

O projeto vencedor da região Norte, Rede Jandyras, foi inscrito pela Líder Tatianny Cristina Queiroz Soares. A Rede Jandyras é um projeto de advocacy climático que mulheres pretas e periféricas realizam no âmbito político municipal de Belém. Seu trabalho consiste em mesclar narrativas com as pesquisas científicas existentes e, a partir disso, debater e construir propostas eficientes no combate à crise climática em da cidade, além de trazer uma perspectiva contra hegemônica de informações sobre como são afetados pelas mudanças climáticas. Ao construir a Agenda Climática para Belém, buscam ouvir as diferentes demandas, das variadas realidades das integrantes da Rede, para que assim, as propostas fossem próximas a realidade da cidade como um todo. Assim hoje, como organização, estão atuando para garantir a implementação das medidas de mitigação e adaptação que sugerem na Agenda Climática desenvolvida para Belém.


Categoria Região Sudeste

O projeto Florestas para Água trabalha na restauração de áreas florestadas em propriedades de agricultura familiar para proteger e fortalecer os recursos hídricos. A convite dos agricultores, fazem o plantio nas encostas dos morros para melhorar a recarga hídrica. Coletam sementes da espécies nativas, fazem mudas, cuidam delas no viveiro, preparam a terra, e fazem o plantio junto às famílias. Monitoram as mudas ao longo de 2 anos, fazendo manutenção e replantio onde for necessário. O projeto foi inscrito pela Líder Rosemary Le Breton.


Categoria Região Sul

O grande vencedor da região Sul é o projeto Young Energy - ODS 7 inscrito pelo Líder John Fernando de Farias Wurdig. O projeto tem como objetivo efetivar os 17 ODS da ONU no Centro Comunitário da Vila Orfanatrófio - CENCOR (Creche Boa Esperança) através do ODS 7 e ODS 13, onde instalaram em 2019 um sistema de Placa Solares e atualmente desenvolvem inúmeras ações de educação ambiental nesta instituição com foco no combate as desigualdades sociais (ODS 10) e oferecendo uma educação de qualidade (ODS 4). Também na instituição há um foco na qualificação de jovens com o cursos de qualificação como de padeiro e confeiteiro ajudando com os ODS 1 e 2. O centro conta com uma equipe de 25 pessoas que atendem mais de 400 crianças e jovens com os serviços de creche comunitária, oficinas de teatro, dança e música e qualificação profissional. O CENCOR possuía um gasto mensal de aproximadamente R$ 1.500,00 com o pagamento da fatura de energia elétrica, com a instalação do Sistema Solar este valor reduziu em 90%, ou seja, em média, R$20 mil por ano serão economizados. Isto significa mais educação, mais cultura, mais sustentabilidade ambiental e um melhor atendimento as crianças e jovens da Vila Orfanatrófio.




128 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page