Logo_cores-preto01.png

FORAM 120 PROJETOS INSCRITOS

Conheça os projetos da categoria PASSADO

Ronaldo Torre

Praia Sempre Limpa

Sobre o projeto:  É uma missão de provocar a participação local(seu quadrado)na educação do cidadão em mudar atitudes e consumo, veranista(cuidar do seu destino), caiçara(localismo), com a mudança em seu próprio ambiente. Com monitoramento, planejamento, estratégia de ações e muita educação ambiental, é possível fazer que Tod@s conheçam e ajudam a planejar melhor o seu ambiente. Seja mudando modal de transporte(Bike/Carro), seja separando o lixo, participando de: ações de limpeza de praia, educação ambiental em escolas e associações, ensinando reciclagem e renda($$) criando "passagens, escadarias, pilares" . INspirar para Respirar. Descarbonariamente.

Área: Educação, Reciclagem, Arte, Voluntariado e mini-videos 

Público alvo: Cidadão, alunos da rede pública e privada em todas as esferas, Legisladores, Formadores de Opinião, Rádios e Ministério Público.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Ricardo Ramos

Rocinha Surfe E Artes

Sobre o Projeto:  O objetivo do projeto é educar e gerar renda através de reciclagem de pranchas de surf.

Área: Educação e reciclagem

Público alvo: Jovens acima de 16 anos moradores de comunidades e realizamos oficinas para um público geral com esta faixa etária.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Gabriela Bristot Boff

A questão energética em tempo de crise sistêmica: um estudo exploratório da revolução americana de gás de xisto 

Sobre o Projeto: Explorar o papel de gás de xisto para a hegemonia americana e o potencial papel desse recurso na transição energética para uma matriz mais sustentável

Área: transição energética, recursos energéticos, gás de xisto, fracking

Público alvo: comunidade acadêmica

Saiba mais sobre o projeto aqui

Luciana Nery

Rio Resiliente

Sobre o Projeto: Tratou-se de um grande esforço para unir departamento da Prefeitura em prol da resiliência, e fazer consultas públicas, com população em geral e também especialistas no tema (dentre eles, Alfredo Sirkis, que participou do processo de diagnóstico de resiliência). Eu escrevi o bid para participar do 100 Resilient Cities, da Fundação Rockefeller, assim garantindo fundos para contratação de especialistas, para apoio na Estratégia de Resiliência, que foi lançada em 2016.

Área: monitoramento de riscos climáticos no espaço urbano, energia verde, economia circular, comportamento resiliente

Público alvo: Cidadãos do Rio de Janeiro, especialmente moradores suscetíveis a riscos climáticos, como deslizamentos devido a chuvas e elevação do nível do mar. - Conscientização sobre clima e resiliência a funcionários da Prefeitura

Saiba mais sobre o projeto aqui

Cristina Mendonça

Estratégia de Mudança para Desenvolvimento Sustentável Inclusivo

Sobre o Projeto: Os textos que escrevi destacam o conteúdo do lançamento do site da Techni e a Visão para Desenvolvimento Sustentável Inclusivo e ilustra dois casos de impacto que implantei em organização não-governamental: programa de Eco-Driving e Protótipo para Programa Global de Consumo Sustentável. 

Área: Consumo consciente, transporte, desenvolvimento adulto, teoria de mudança

Público alvo: Profissionais de organizações de sociedade civil, prefeituras, empresas, pesquisadores e cidadãos.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Nelzair Araújo Vianna

CIÊNCIA CIDADÃ E EDUCAÇÃO COMO ESTRATÉGIAS DE ENGAJAMENTO PÚBLICO EM POLUIÇÃO DO AR

Sobre o Projeto: A poluição atmosférica mata mais de 7 milhões de pessoas por ano no mundo (Organização Mundial da Saúde) e está associada ao desenvolvimento de diversas doenças que afetam a população nos centros urbanos, como doenças cardiovasculares, respiratórias, câncer, dentre outras. Este projeto teve como objetivo investigar como a participação de alunos do ensino médio em um projeto de ciência cidadã contribuiu para o engajamento e alfabetização científica sobre o tema poluição do ar no contexto de mudanças climáticas Metodologia A intervenção teve como modalidade didática o desenvolvimento de um projeto de pesquisa estudantil, envolvendo a prática de ciência cidadã onde os alunos avaliaram a qualidade do ar através de medidas da concentração de material particulado MP (2,5) em áreas no entorno da escola, utilizando um nefelômetro portátil. Os estudantes participaram de treinamento e coleta de dados sobre a poluição atmosférica. Etapas: • Aulas expositivas • Exibição de vídeos • Discussão de textos • Treinamento em campo • Coleta de dados Instrumentos de coleta de dados: Foram elaborados três testes ( T1, T2 e T3) com objetivo de verificar a trajetória de aprendizagem dos estudantes e mapear alguns indicadores de Alfabetização Científica (AC). Todos os testes apresentaram somente questões abertas (média de 4 questões por teste), elaboradas de acordo com os conteúdos abordados e indicadores de Alfabetização Científica( Levantamento de hipóteses e Justificativas) propostos por Sasseron (2009). Considerações Finais O projeto envolvendo a prática da ciência cidadã se mostrou eficaz pois: • Evidenciou um aumento na alfabetização científica dos alunos com engajamento e alto desempenho em 63%; • Estimulou interesse por assuntos que envolvem o tema poluição do ar no contexto de mudanças climáticas; • Manteve os estudantes engajados em todas as etapas da investigação da qualidade do ar do bairro onde estudam. • Possibilitou a difusão do conhecimento adquirido através de uma exposição que foi ampliada para toda a comunidade escolar. • O aumento do nível de percepção da poluição do ar permitiu não só o reconhecimento das fontes emissoras que mais impactam as cidades, como também puderam observar a diferença entre os níveis de poluição do ar em ruas de intenso tráfego e em locais com presença de arborização mais distantes do trânsito.

Público alvo: Estudantes de escola pública do subúrbio de Salvador

Saiba mais sobre o projeto aqui

Gabriela Fleury

Planta na Rua RJ

Sobre o projeto:  Projeto de educação e ação direta ambiental em terrenos baldios e locais abandonados no meio urbano. Atua com reflorestamento urbano, criação de hortas comunitárias, trabalha com a recuperação e implementação de áreas verdes na cidade em seu 12° ano de atividades. Usando o cinema e mutirões como ferramentas de ação! Nosso método é aberto para extensão em outras cidades! Crie o Planta na Rua da sua cidade: nós ajudamos no processo!

Área: Educação e recuperação ambiental.

Público alvo: Moradores da cidade, estudantes, idosos, jovens, profissionais da educação, artistas, donas de casa, amantes da natureza, turistas etc.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Julia Caon Froeder

Câmbio Clima

Sobre o Projeto:  Câmbio Clima é um movimento liderado por jovens de Porto Alegre, membros dos Global Shapers e Líderes da Realidade Climática, que tem como objetivo colaborar com a mobilização da sociedade civil para o combate à crise climática na cidade. O primeiro passo foi um encontro durante o 24 de Realidade de 2019, onde estiveram presentes 44 organizações da sociedade civil que foram mapeadas e convidadas de acordo com as áreas do inventário de GEE da cidade: Mobilidade, resíduos, energia estacionária, agricultura, florestas e uso da terra. Durante o encontro foram apresentados o "Verdade em 10", sobre informações globais do clima, seguidos de uma apresentação com dados do impacto das mudanças climáticas em Porto Alegre e, por fim, o inventário de GEE do município. Depois das apresentações, as organizações se dividiram em grupos orientados pelas 4 categorias do inventário para iniciar o trabalho específico.

Área: Mobilização da sociedade civil para redução de GEE da cidade

Público alvo: Organizações da sociedade civil, movimentos temáticos, empresas relacionadas com as áreas do inventário de GEE de Porto Alegre

Saiba mais sobre o projeto aqui

Vicente Manzione Filho

[E-book] MUDANÇA CLIMÁTICA: UMA SÍNTESE DOS REFLEXOS NAS ORGANIZAÇÕES

Sobre o Projeto: O material tem por objetivo levar ao leitor a visão de especialistas sobre a Mudança Climática e seus impactos nos negócios e as razões pela quais gerenciar essa questão pode trazer benefícios para as organizações, não apenas reputacionais, mas também financeiros. Além disso, o conteúdo contempla pesquisas e dados sobre visando agregar mais conhecimento ao dia a dia de profissionais com conhecimentos básicos no assunto.

Área: Mitigação, riscos climáticos, impactos financeiros.

Público alvo: Profissionais em início nas áreas de sustentabilidade, mudança climática, responsabilidade social e/ou meio ambiente.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Gabriel Chaves Barboza

My HUBs Emissions

Sobre o Projeto: O projeto surgiu da minha vontade em honrar o fato de que eu ganhei a viagem para me tornar Climate Reality Leader e gostaria de agradecer fazendo um trabalho para o Global Shapers. Assim, criei duas calculadoras (uma para o Brasil e uma mundial) para calcular as emissões de reuniões presenciais dos HUBs do Global Shapers.

Área: Conscientização

Público alvo: membros do Global Shapers

Saiba mais sobre o projeto aqui

Luiz Pianta

Produzir para um futuro sustentável 

Sobre o Projeto: O objetivo é conscientizar através do exemplo prático da possibilidade de produzir eficientemente com práticas socialmente justas e ambientalmente corretas, tornando os produtores rurais aliados na luta contra as modificações climáticas.

Área: Recursos hídricos, educação, preservação da natureza, integração da natureza e produção agrícola.

Público alvo: Toda pessoa que venha a produzir no meio rural e esteja interessada em proteger a natureza e principalmente os jovens.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Silvia Stuchi

Bondes a Pé no Festival

do Japão

Sobre o Projeto: Motivar, mobilizar e auxiliar pessoas a trocarem o uso do transporte motorizado pelo transporte a pé, no trajeto de 1,1 km, realizado da estação de metrô Jabaquara ao centro de exposições do evento. Em julho de 2018 e 2019, o Instituto Corrida Amiga participou do 21º e 22º Festival do Japão levando os Bondes a Pé: um incentivo ao transporte a pé para os visitantes do festival que se mostrou acertado, pois reduziu a utilização de transporte motorizado fretado para traslado entre a estação de metrô e o evento.

Área: Mobilidade urbana, educação, cidadania

Público alvo: Público geral que estava no entorno do metrô Jabaquara / centro de exposição

Saiba mais sobre o projeto aqui

Nira Broner Worcman

Bioeconomia 4.0

Sobre o Projeto: Divulgar possibilidades científicas para uma Amazônia Sustentável. Uma entrevista com o climatologista Carlos Nobre falando sobre seu projeto Amazônia 4.0. 

Área: Educação, climate change, bioeconomia, florestas

Público alvo: Cientistas, pessoas envolvidas com educação, empreendedores, empresários, comunidade do MIT e alumni do MIT

Saiba mais sobre o projeto aqui

Gabriel Chaves Barboza

CARBONO LIBRE

Sobre o Projeto: O projeto visou criar uma política de gestão climática para a cervejaria Perro Libre, trazendo em formas diferentes o engajamento do público. Primeiro foi feito o cálculo das emissões de GEE dos bares da Perro Libre, então foi destinado 10% de um dos rótulos para projetos socioambientais com viés climática. Em seguida foi feito o Climate Night, evento sobre o clima em um bar, que contou com a participação de vários climate reality leaders! Mais informações na apresentação enviada no link útil.

Área: Conscientização, gestão climática, consumo consciente

Público alvo: Consumidores de cerveja e clientes da Perro Libre

Saiba mais sobre o projeto aqui

Jaqueline Nichi

Clima e Comunidade:

a construção do primeiro jardim de chuva da periferia de São Paulo

Sobre o Projeto: Mais da metade da humanidade - 3.8 bilhões de pessoas - vivem nas cidades. Para 2030, 60% da população do mundo irá viver em áreas urbanas. Apesar das cidades ocuparem apenas 2% do espaço da Terra, estas são responsáveis por 60 a 80% das emissões de carbono. Para este cenário, nosso projeto visa providenciar melhores condições para resolver os problemas de alagamento no distrito vulnerável do Grajaú, o mais populoso na cidade e com baixa infraestrutura sanitária, de forma que isto tem consequências severas durante estações chuvosas. Com o design de jardins de chuva nós somos aptos a desviar da contaminação de áreas mananciais e de aquífero, doenças e problemas de saúde causados pela falta de saneamento (falta de tratamento de esgoto) em áreas de assentamento irregular. Como resultados, ao regenerar a microbacia, o projeto garante a qualidade da água, do solo, do ar, além de qualificar a população para replicar a solução em outras regiões do bairro. O aspecto colaborativo fortaleceu os laços comunitários e gerou um senso de pertencimento da comunidade que passou a frequentar o local revitalizado, mais bonito e verde. Como consequência, o índice de assaltos e roubos diminuiu e novos relacionamentos entre a comunidade foram gerados.

Área: Recursos hídricos, educação ambiental, captura de carbono

Público alvo: População vulnerável do Grajaú, um distrito no extremo sul da cidade de São Paulo localizado próxima a uma área de assentamentos informais em região de bacia hidrográfica.

Saiba mais sobre o projeto aqui

Felipe Cerbella Mandarino

Mapeamento das áreas vulneráveis à elevação do nível do mar no Rio de Janeiro: da escala global ao local

Sobre o Projeto: O projeto é uma pesquisa aplicada, desenvolvida por mim no âmbito do IPP com apoio de diversos parceiros nacionais e internacionais, com o objetivo de mapear as áreas vulneráveis à elevação do nível médio do mar na cidade do Rio de Janeiro. A pesquisa foi apresentada na Conferência Cities IPCC, realizada em Edmonton, Canadá em março de 2018 e, posteriormente, em diversos eventos locais no Rio de Janeiro, incluindo oficinas de revisão do Plano Diretor da Cidade e da UCCRN. Os dados gerados tem sido utilizados como ferramenta de apoio ao planejamento e, também, como dado de entrada para outros trabalhos, que aprofundam a pesquisa visando entender o impacto da elevação do nível médio do mar no Rio de Janeiro. Este trabalho é uma evolução de pesquisa anterior, lançada entre 2011 e 2012 e realizada no âmbito do projeto Megacidades (link em "Links úteis"), e trouxe diversas melhorias, como a adoção de projeções locais e uso de dados mais detalhados para a modelagem digital e tridimensional do relevo. 

Área: Adaptação às mudanças climáticas - impactos da elevação do nível médio do mar

Público alvo: Gestores e planejadores locais, sociedade civil

Saiba mais sobre o projeto aqui